quinta-feira, 3 de novembro de 2016

[135] Resenha: A Garota do Calendário - Março | Audrey Carlan


Título: A Garota do Calendário - Março
Série: A Garota do Calendário (Livro 3)
Autor(a): Audrey Carlan
Editora: Verus
Páginas: 144
Saiba mais: Skoob
Sinopse: Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma falsa noiva.

Aviso: Esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores da série!

Depois de passar o mês de fevereiro ao lado do pintor Alec Dubois, Mia continua na sua saga de acompanhante para juntar dinheiro e quitar a dívida do pai, sua próxima para é Chicago, onde ela fingirá ser a noiva do italiano Anthony Fasano, ou Tony, um ex-boxeador e atual dono de uma rede de restaurantes de comida italiana.

Assim que vê Tony pela primeira vez, Mia começa a se perguntar porque ele precisa de alguém para fingir ser sua noiva, afinal ele é um pedaço de mal caminho, além de ser rico, e isso deveria fazer muitas mulheres ficarem aos seus pés, mas ela logo tem a sua resposta, quando descobre que ele vive em seu apartamento com Hector, seu melhor amigo à muitos anos e também o seu namorado, ou seja, Tony é gay.

"— Se sacrificar durante um tempo — ele disse — é o que se faz quando se ama alguém. Você coloca as necessidades do outro acima das suas, e um dia o outro vai fazer o mesmo por você."

Tony precisa da Mia para que ela finja ser sua noiva e, assim, diminuir a pressão da sua família sobre ele, já que o mesmo nunca apresentou nenhuma namorada aos familiares e eles já estavam se questionando sobre isso. Quando Mia pergunta porque ele não se assume logo, Tony diz que a família, principalmente sua mãe viúva, não iria aceitá-lo, pois eles são muito tradicionais e religiosos (e Tony é o único filho homem da família), além disso ele é o líder de uma rede de restaurantes tradicionais e a revelação de sua sexualidade poderia gerar um escândalo que acabaria com a empresa.

Mia de cara não aceita muito bem as escolhas de Tony, ela vê o quanto os dois homens se amam e o quanto Hector sofre por Tony não assumir o relacionamento, vivendo uma mentira, mas ele nunca diria isso ao parceiro, pois o ama demais para força-lo a fazer isso. Então, Mia embarca no mês de março com o objetivo de dar um jeito nesse relacionamento e fazer esses dois homens felizes.

"No fim das contas, amor era amor, e ninguém pode escolher por quem se apaixonar; nem saber quanto tempo esse sentimento vai durar."

Depois de todo o meu amor pelo livro de Janeiro e uma certa baixa nas minhas expectativas com Fevereiro, eu mergulhei na leitura de Março com um pé atrás, mas a jornada da Mia nesse livro elevou os pontos dessa série comigo. Depois de dois livros com a Mia se relacionando com seus cliente, eu fiquei pensando que o mesmo ia se repetir nesse terceiro e provavelmente nos próximos, já tava imaginando que não ia aguentar essa mesmice e largaria a série, mas autora se superou e apresentou um enredo diferente neste volume.

Primeiramente, a Mia não se relaciona com seu cliente, o que já mostra que ela não se relaciona com todos os seus clientes durante a série. Obviamente, isso diminuiu bastante a quantidade de cenas de sexo nesse volume, mas ainda temos uns momentos quentes devido a um personagem que não posso mencionar, mas que é um queridinho meu.

"Era verdade. Eu aprendi muito com os dois. A não ter medo, a nunca deixar que outra pessoa escolha como minha felicidade deve ser."

Além do diferencial na questão do sexo, temos o cliente da vez e o seu namorado, Tony e Hector são dois personagens que trouxeram leveza para esse livro, o relacionamento deles é lindo e a Mia acaba criando uma amizade maravilhosa com eles, temos uma Mia mais feliz e despreocupada nessa parte da sua jornada. A família Fasano também é um ponto forte nesse livro, eles se amam e interagem de uma maneira bonita, que não tem como não gostar deles. Por falar em família, nesse volume também temos uma pequena aparição da irmã e do pai da Mia, o que me agradou, apesar dessa participação deles ser rápida.

Por ser um livro com personagens gays e não assumidos, temos algumas questões sobre aceitação e amor próprio na história, mas essas reflexões não são muito aprofundadas, pois como já mencionei nas resenhas anteriores, essa série não se propõe à isso. Mesmo assim elas estão lá e trouxeram um foco diferente a história, que focou em outros personagens além da Mia, apesar dela também ter evoluído um pouco nesse livro, aprendendo a se importar mais com ela mesma e não colocar sempre as necessidades de todo mundo na frente das dela.

Março é um mês que me agradou bastante, ele deu um ar diferente à história, mostrando que a autora tem a capacidade de criar enredos diferentes para os próximos volumes, se tornou um dos meus volumes favoritos dessa série. Já terminei de ler Abril e ele também trás uma proposta diferente pra história, aguardem a resenha!


Outros livros da autora já resenhados:

- A Garota do Calendário: Janeiro (resenha)
- A Garota do Calendário: Fevereiro (resenha)



20 comentários:

  1. Olá
    Eu adorei o mês de março, e achei muito interessante essas novas questões abordadas sobre aceitações e afins, e é claro que há muita emoção envolvida nesse cenário. Fico feliz que tenha curtido essa leitura, e não deixe de ler e resenhas os próximos por aqui também. há muitas surpresas nesse percurso.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, José!

    Bem, eu não li nenhum livro dessa série, embora eu tenha os dois primeiros, mas não pretendo ler eles tão cedo e muito menos adquirir os outros volumes. Eu não sei o que me deu, mas fiquei com uma aversão inexplicável dessa série.
    Nesse volume que você trouxe, não senti nenhuma diferença expressiva na trama (mas não quero me ater muito a isso, já que meu julgamento está pautado apenas nas resenhas que li) mas confesso que gostei do fato do rapaz da vez ser gay, achei um diferencial interessante esse que a autora trouxe e confesso até que fiquei curiosa para saber como ela desenvolveu essa relação entre ele e a Mia. Bem, não vou descartar 100% a possibilidade de ler a série, mas no momento não tenho o desejo de faze-lo.

    Enfim, sua resenha está muito bem escrita. Parabéns!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Eu comprei os meses de janeiro e fevereiro. Mas fiquei um pouco desanimada com o gênero depois de algumas leituras não muito agradáveis. O que me deixou especialmente desconcertada porque costumo gostar de qualquer livro.
    Mas pretendo voltar a ler o gênero em breve e vou dar uma chance para essa série. Achei interessante saber que esse volume envolve um casal gay não assumido, e que isso dá leveza ao livro.
    Sua resenha foi uma das poucas que me deu um pouco mais de interesse em ler a série.

    ResponderExcluir
  4. Sabe, sempre pensei que essa série poderia se tornar repetitiva demais. Não li nenhum ainda, mas pensava dessa forma. A sua resenha me deu esperanças de que nem tudo é assim. Tenho a tendência a achar que séries grandes demais podem se tornar massantes. Mas quem sabe darei uma chance à leitura, ainda mais contendo assuntos que nem sempre são tratados nos livros em geral. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  5. Que felicidade saber que autora no meio de trama que fala de sexo, sexo, sexo e mais um pouco de sexo vem abordar temas tais como a homosexualidade. Acho que isso é uma coisa boa nos livros.

    Estou curiosa com a série, mas ainda não iniciei a leitura de nenhum deles por causa da minha ansiedade kkk acho que preciso ter os 12 antes d eler o primeiro. Por enquanto fico aqui babando com os comentários de vocês

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu desisti da série no segundo volume e acho que fui até longe demais. Ainda não consigo entender o sucesso destes livros. Tirando toda a sensualidade da trama, que ao meu ver é apelativa, vamos pensar no enredo que levou a Mia a viver todas essas situações, a tal dívida do pai: cadê a polícia????? Não engulo este plot, superficial demais!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Já li várias resenhas sobre essa série, mas não tive oportunidade de ler nenhum dos livros, ainda. Pelo que entendi, no mês de março, a autora fala sobre a homossexualidade. A protagonista não correrá o risco de se envolver emocionalmente com um deles. Ótima resenha, dica anotada!

    Abraços,
    http://contosdacabana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olaá!
    Tenho lido várias resenha sobre essa série e quero muito ler. Mas só vou fazer isso depois de tê-la completa na minha estante, nem que eu leia um por mês. rs
    Ótima resenha, curti muito.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Eu ainda não li nada da série, mas sempre me esbarro com elogios. A cada mês parece que a autora consegue manter os leitores ligados, inovando e acrescentando novos personagens. Gostei muito da resenha e da forma como a autora lida com temas que ainda geram certa polêmica na sociedade. Cada vez mais interessado na série.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  10. Eu comprei esse livro mês passado e já coloquei na pilha de leitura desse mês. Eu estou viciada nessa série e acho que MArço traz uma história diferente das de janeiro e fevereiro e tão boa quanto. Acredito que eu vá amar e continuar curiosa com os próximos.

    ResponderExcluir
  11. Olá José,
    Adorei o mês de março, pois não teve relação sexual com o cliente da vez e a Mia tentou fazer o certo e não ficou, simplesmente, tentando dormir com o cliente.
    Achei a sua resenha incrível e você conseguiu retratar bem o que senti ao ler esse livro. Além disso, achei os personagens incríveis e, como você disse, eles trouxeram muita leveza para o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Nossa, eu concordo totalmente com você, sabia?
    Janeiro foi um livro incrível, fevereiro foi uma decepção e comecei março também com um pé atrás, mas tenho que confessar que para mim, ele foi o melhor livro da série até agora, okay confesso que não li nenhum livro depois desse, mas estou ansiosa por abril agora que vi que se trata de uma proposta diferente também

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Março foi o volume que mudou a minha perspectiva da série, assim como aconteceu com você, e é um dos que mais agradaram justamente por abordar assuntos mais sérios ainda que de forma rasa. Já li até o mês de Junho e pra mim a autora conseguiu melhorar um pouco a cada volume, trazendo quase sempre um assunto relevante e fazendo a protagonista surpreender, nem que seja um pouquinho Estou ansiosa pra ler as próximas resenhas da série e saber o que você achou.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Eu confesso que não tenho vontade de ler essa série, pois realmente não curto o gênero. Mas fico feliz que neste volume, outros assuntos sejam abordados, ainda que o foco não seja esse. Falar sobre nossas diferenças e sobre família é sempre muito importante. Tomara que em outros volumes a autora aborde outros temas igualmente importantes :)
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Até agora só li o primeiro volume da série porque o segundo me deu uma desanimada também, mas saber que a dinâmica muda um pouco a partir do terceiro me deu um novo gás para continuar a ler. Adorei a sua resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Não tenho o menor interesse em ler essa série, cenas hot me deixam mega entediada. Saber que elas existem, mesmo que menos, até num volume em que a Mia não se relaciona com o cliente, só me faz querer passar mais longe dos livros. Que bom que esse livro elevou os pontos da série com você, mas não é mesmo pra mim.

    ResponderExcluir
  17. OI!!


    José já comprei os primeiros livros da série, mas confesso que ela ainda não me convenceu. Sei que esse livro lhe deu novo gás para continuar, todavia a narrativa e o desenrolar da vida da Mia não me parecem promissor. Enfim, obrigada pela dica. Beijos e aguardo o outro livro da série que você já leu.

    ResponderExcluir
  18. Oi José, eu quero muito ler essa série e li só o início da sua resenha, pois não quero ler spoilers. Já li outras resenhas e acho que a premissa dela é bem interessante. Planejo ler um por mês, mesmo sabendo o quanto é complicado começar uma série e ter que se segurar para não ler o próximo logo em seguida...rs
    Abraços

    ResponderExcluir
  19. Olá,
    Adorei a premissa da obra e quero muito conferir se Tony irá abrir o jogo com sua família e que papel Mia terá nisso tudo.
    Achei bem legal o livro abordar a homossexualidade de uma forma aparentemente bem leve.
    Ainda não iniciei a leitura da série, mas a cada resenha que leio fico mais ansiosa para fazê-lo.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi, José, tudo bem?
    Então... Gostei muito de sua resenha, aliás eu já li algumas postagens aqui no blog e nunca me decepciono, vocês escrevem muito bem :D
    Mas preciso dizer que não quero ler essa série. Já li outras resenhas e nenhuma me faz querer apostar na escritora. Acho que a premissa me chocou demais, e o fato da editora estar dividindo as histórias assim, mesmo que seja o certo pelo fato de cada livro ser um mês do calendário... afff... Isso é extorquir demais do leitor =/
    É o que penso. E tem outros fatores que me fazem não querer ler, mas isso é coisa pessoal e tal, não vai acrescentar no meu comentário.
    O fato é, gostei de tua resenha, mas deixarei passar essa leitura. Obrigada por nos dar tuas impressões sobre a obra.
    Beijos!

    ResponderExcluir